Seguros residenciais com preços acessíveis

Saiba mais sobre a cobertura, como é feito o cálculo e média de valores

A contratação de seguros residenciais aumentou 13% no último ano no país. Mesmo assim, apenas 15% das casas com Habite-se têm cobertura básica contra incêndio e roubo. “Isso acontece apesar de os preços serem muito inferiores aos dos carros”, diz o superintendente executivo da Bradesco Seguros Auto/RE, Almir Ximenes Filho. “Observamos que, dos 6 a 7 milhões de casas cobertas por algum tipo de seguro, 90% são de moradia e 10% de veraneio”, afirma o gerente da Porto Seguro Residência, Jarbas Medeiros. A maioria fica nas regiões Sul e Sudeste, onde há mais riscos. Na opinião dos executivos, a procura por seguro residencial somente não cresce bastante porque a população desconhece os preços e os benefícios.

A cobertura básica para incêndio e roubo, que pode incluir raios ou vendavais, danos elétricos e queima de aparelhos, custa por ano até 300 reais para apartamento e entre 400 e 500 reais para casa, na Porto Seguro. O cálculo é feito por corretor, que visita o imóvel e avalia o valor para repor os bens em caso de sinistro. “Por incêndio, a cobertura de tudo corresponde ao orçamento para reconstrução do imóvel – de acordo com o mercado imobiliário, varia de 1.500 a 5 mil reais o m² – mais o conteúdo”, explica Jarbas. “O problema é que a maioria da população pensa que o preço do seguro residencial é calculado sobre o valor de compra e venda do imóvel”, acrescenta Almir. Para facilitar a contratação, a Bradesco nem exige vistoria do imóvel. “É quase automática”, afirma. O custo da apólice depende da cobertura e da região. “No Sul, há casas de madeira, vendavais e enchentes, para os quais oferecemos planos.” Para um apartamento, a apólice de 100 mil reais por incêndio, que inclui 10 mil reais para danos elétricos e 5 mil reais para roubo, tem valor de 183 reais por ano. O preço anual pode chegar a 300 reais se o cliente pede cobertura por roubo de 30 mil reais. Pelo volume do patrimônio, é necessária uma vistoria.

“Para aceitar, o técnico verifica se a casa não fica em terreno isolado e se tem sistema de monitoramento.” As empresas oferecem assistência de chaveiro, eletricista, encanador e vidraceiro. “O check-up evita os riscos”, afirma o superintendente da Bradesco. Na Porto Seguro, há desconto para a compra de alarme, câmera e sensores. “É a forma de incentivar o cliente a se proteger”, diz Jarbas. “O custo-benefício é grande: a família fica em casa e viaja tranquila”, conclui Almir.

Comentários estão fechados