Mais ânimo para financiamento de veículos neste fim de ano

O setor automotivo acaba de tomar mais uma injeção de ânimo. Um acordo com a Caixa Econômica Federal e com o banco Pan, antigo Panamericano, oferece taxas de juros mais baixas para estimular a venda de veículos novos e usados em novembro e dezembro, com a primeira parcela para o dia primeiro de março de 2015, depois do carnaval.

A medida, porém, não deve ser suficiente para recuperar as baixas acumuladas no ano. Com o mercado retraído, receoso de assumir crédito de risco, muitas montadoras colocaram seus funcionários em lay off – suspensão temporária do contrato de trabalho, medida que evita demissões em massa. Mesmo o IPI reduzido não foi capaz de manter o setor aquecido. Segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), o financiamento para a compra de carros zero quilômetro caiu 9% até agosto em relação ao mesmo período do ano passado.

Em outubro passado, 579.100 veículos foram financiados, uma alta de 2,6% em relação a setembro e queda de 3,4% na comparação com outubro de 2013, segundo levantamento da Cetip (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos), sendo 281.416 unidades novas e 297.684 usadas. No acumulado entre janeiro e outubro, foram financiados 5.229 milhões de veículos, número 6,3% inferior ao do mesmo período de 2013.

Um dos grandes entraves ao setor ainda é o elevado índice de inadimplência do consumidor, sem contar que 60% dos clientes que buscam financiamento têm o cadastro recusado acrescentou.

Com a medida de taxas especiais concedidas pela Caixa, com juros a partir de 0,93%, tanto para pessoa física como para jurídica, a Fenabrave acredita que a queda nas vendas possa recuar por volta de 7% e 7,5% até o final do ano e assim retomar o fôlego para renegociar a manutenção da diminuição do IPI junto ao Governo Federal, que acaba agora em dezembro.

Outra medida que pode aumentar em 20% a venda de automóveis por financiamento é a aprovação da mudança de lei que dará maior agilidade aos bancos na retomada de bens dos consumidores inadimplentes.

Em tempo: a pesquisa anual do MercadoLivre Classificados, realizada junto a 4.181 usuários do site entre setembro e outubro deste ano, apontou que o brasileiro está mais organizado e cauteloso com suas finanças. O estado de conservação e o preço continuam sendo os principais fatores para a decisão de compra de um veículo, mas o financiamento (número de parcelas) do carro vem se tornando, cada vez mais, um critério que influencia na decisão de compra do consumidor.

Quatro anos atrás, quando a mesma pesquisa foi realizada pela primeira vez, a preocupação com o financiamento aparecia em sexto lugar entre os fatores cruciais para comprar um carro. Hoje aparece em terceiro, atrás de estado de conservação (1º) e preço (2º). A disponibilidade de peças, a quilometragem e a marca estão em quarto, quinto e sexto lugares entre os fatores, respectivamente.

A pesquisa também mostra que os consumidores utilizam, cada vez mais, a internet para comparar preços e pesquisar marcas, modelos e concessionárias durante o processo de compra de um automóvel.

Comentários estão fechados