Desinformação reduz indenizações do Seguro DPVAT

DPVATPotenciais beneficiários, vítimas ou familiares de acidentados desconhecem ou acham que é difícil acesso ao seguro

O Seguro de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de vias Terrestres (DPVAT) existe para assistir vítimas de acidentes de trânsito mesmo que elas estejam na condição de pedestre. Ele é pago junto com o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e as indenizações podem ocorrer por morte, invalidez permanente ou para custeio de assistência médica. Porém, nem todo mundo sabe de sua existência e mesmo os que sabem, encontram dificuldades em conseguir receber a indenização.

A desinformação impediu a alagoana Andrea Carvalho, de 35 anos, funcionária pública federal, de ter acesso à indenização do Seguro. Em 2009, ela mudou para Brasília e após dois meses de sua mudança sofreu um acidente na região da Asa Norte no Plano Piloto. Ela precisou usar colete cervical e até hoje sente incômodos por ter lesionado a coluna na ocasião. “Não solicitei o Seguro DPVAT por achar que ele era destinado apenas a familiares daqueles que morriam nos acidentes”, lembra. Ela estava sem cinto no banco de trás do carro de uma amiga.

Andrea somente ficou sabendo que teria direito à indenização anos mais tarde ao ler uma matéria de jornal, quando já havia passado o prazo de requerimento, que é de no máximo três anos após o acidente.

A Seguradora Líder realiza campanhas institucionais para ampliar a divulgação sobre o Seguro DPVAT em todo o território nacional. “Apesar de todos os esforços, inclusive ampliando a rede de atendimento em todo o País, que hoje supera os 7,5 mil pontos, muitas pessoas ainda acreditam que é difícil dar entrada no pedido do Seguro DPVAT, o que não é verdade”, diz um representante da empresa.

Os pagamentos por mortes do Seguro de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de vias Terrestres (DPVAT) diminuíram em Alagoas.

Em 2012, foram pagas 889 indenizações por morte no Estado, conforme dados da Seguradora Líder, responsável pelo DPVAT no país. No ano de 2013, foram pagos apenas 850 indenizações.

Segundo dados da Perícia Oficial de Alagoas, 780 pessoas morreram por causa dos acidentes de trânsito em 2013. Em 2012, foram 517, mas os números não são exatos. De acordo com a assessoria de comunicação da Perícia, houve uma mudança no seu sistema de estatísticas e eles possuem os dados de abril a dezembro. Se levarmos em conta a média mensal e somarmos os três meses que faltam nos dados oficiais desse ano, chega-se a 689 mortes por causa do trânsito.

Até março de 2014, o número de mortos chegou a 214 pessoas. Os dados da Perícia Oficial referem-se às vítimas fatais recolhidas nos locais dos acidentes e nas unidades de saúde do Estado.

Comentários estão fechados