Seguro viagem: veja quais são os riscos que esta categoria não cobre

Este tipo de contrato possui os riscos excluídos, que não contam com a garantia de indenização

SÃO PAULO – As coberturas do são bem específicas, limitadas ao período da viagem e garantem proteção a danos e prejuízos ocorridos – exclusivamente – por acidentes.

Leia com atenção o contrato para ter conhecimento dos chamados riscos excluídos, que não contam com a garantia de indenização.

Riscos excluídos mais comuns

Diretamente relacionados com o seguro viagem, podem ser excluídas das coberturas as seguintes situações:

  • serviços solicitados diretamente pelo segurado, sem autorização da seguradora, a não ser em casos de gravidade que precisam ser comprovados;
  • doenças preexistentes, congênitas ou crônicas. Em casos de crise aguda, que coloque em risco a vida do segurado, durante a viagem, as seguradoras geralmente autorizam atendimento, mas limitado a um percentual sobre o valor de reembolso contratado;
  • despesas com próteses e tratamentos dentários e fisioterápicos que não sejam prescritos pelos profissionais da área médica, devido a lesões provocadas por um acidente durante a viagem;
  • indenização por morte ou invalidez e extravio de bagagem proveniente de acidente aéreo, rodoviário e marítimo;
  • despesas extras de hospital, não incluídas no custo da diária;
  • danos totais ou parciais, violação e extravio de objetos contidos na bagagem, mesmo durante o transporte em companhia aérea, rodoviária ou marítima;
  • bens de uso pessoal ou valor estimativo, joias, dinheiro, cartões de crédito, cheques de viagem, obras de arte, relíquias de família e documentos;
  • segurado com plano empresarial, em viagem de lazer; • segurado com plano individual de turismo, em viagem de trabalho;
  • tratamento de doenças epidêmicas, pandêmicas ou endêmicas;
  • despesas médicas e hospitalares decorrentes de atendimento ao segurado que sofreu acidente por realizar atividades de alto risco, sem habilitação para tanto;
  • cirurgias plásticas estéticas;
  • despesas com farmácia, sem que os medicamentos tenham sido prescritos por médico, devido a um acidente;
  • tratamentos médico-hospitalares, odontológicos, fisioterápicos de rotina;
  • desobediência do segurado às instruções orientadas pela Central de Atendimento da seguradora;
  • continuidade de tratamentos médicos e odontológicos, terminada a viagem; e
  • tratamentos psiquiátricos.

O seguro viagem, como o de acidentes pessoais, também não cobre:

  • uso e manuseio de material nuclear, acidentes nucleares e semelhantes;
  • atos e operações de guerra, rebelião e tumultos;
  • sinistros decorrentes de fenômenos da natureza, de caráter extraordinário, como inundações, terremotos, erupções vulcânicas, ciclones, furacões, maremotos, queda de meteoritos, etc;
  • lesões e morte causadas por atividade criminosa ou por má-fé do segurado;
  • acidentes ou doenças causadas por consumo de álcool ou drogas; e
  • danos e prejuízos causados por imprudência, negligência, imperícia e irresponsabilidade do segurado ao dirigir um veículo.

Comentários estão fechados